Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nenúfar

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

Nenúfar

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

...

03.03.20, Nenúfar

 

Dantes preocupava-me em contar-te a minha versão dos factos, para que soubesses a verdade. Era importante para mim. Sentia que tinha que o fazer. Que to devia. Agora, sinceramente não me importa no que escolhes acreditar.
É. Simples assim. As coisas são como são e não vale a pena rodea-las ou florea-las para que pareçam mais bonitas. Não é da minha responsabilidade aquilo em que acreditas ou não. Apenas os meus atos o são. Não é do meu interesse que sejas esponja e não filtro. Que gostes do diz que disse ou que procures justificações onde não as há.
Desculpa mas não quero saber. Eu sei quem sou. E não sou o que dizem de mim ou o que escolhes acreditar. Lamento. Lamento que não consigas ver além dessa tua capacidade limitada que te foi dada quando nasceste. Os olhos. Não sabes tu que o essencial é invisível aos olhos? Não sabes escutar com o coração. Lamento que não o saibas. Não por mim. Mas por ti. Pelas coisas importantes que perdes enquanto andas cego em busca da tua verdade absoluta.
Sabes que a razão pouco me importa. Prefiro estar em paz. Por isso dou-ta toda. A razão.
Não deixo de sentir pena que andes perdido. Que não saibas direcionar o teu foco para o que importa. Mas, mais uma vez, é problema teu. Não meu. Espero que aprendas um dia. E que não seja tarde para ti. Porque eu? Eu não vou estar aí. Lamento. Esgotaste as tuas oportunidades. Sabes que as dou, as oportunidades. Mas apenas a quem as merece. Não a oportunistas.
Desculpa, não quero que te sintas ofendido. Dizes-te apologista da verdade, mas só daquela que não dói. A tua.
A minha e a dos outros não é válida, a não ser que coincida com a tua.
E não quero fazer parte desse teu círculo. Ou devo chamar-lhe circo? Escolhe tu. Deixo ao teu critério.
Quanto a mim? Quem me conhece não duvida. E quem duvida, nunca me conheceu.

Miss Paty

 

1 comentário

Comentar post